A armadilha do cigarro eletrônico | Coluna

O cigarro eletrônico é mais uma invenção da indústria tabagista para provocar a dependência da nicotina, especialmente entre os jovens.

Drauzio Varella é médico cancerologista e escritor. Foi um dos pioneiros no tratamento da aids no Brasil. Entre seus livros de maior sucesso estão Estação Carandiru, Por um Fio e O Médico Doente.

Compartilhar

O cigarro eletrônico é mais uma invenção da indústria tabagista para provocar a dependência da nicotina, especialmente entre os jovens.

 

Nas últimas décadas, toda a propaganda que passava a ideia de que fumar é bonito foi desmentida pela divulgação dos malefícios do cigarro à saúde. No entanto, para substituí-lo, a indústria tabagista criou o cigarro eletrônico: outra forma de administrar nicotina, mas com fumaça fria e sem algumas substâncias presentes no cigarro comum, como o alcatrão. Acreditando que não faz mal, muitos jovens que não fumariam o cigarro têm passado a fazer uso do dispositivo eletrônico, desenvolvendo dependência.

Neste vídeo, o dr. Drauzio traz um relato pessoal sobre o tabagismo e alerta para que a população não caia na armadilha: “Não seja trouxa!”.

Veja também: Criminosos impunes | Artigo

Veja mais

Sair da versão mobile