Perdido em relação à vacina contra covid? Saiba aqui

Ministério da Saúde anuncia que vacina contra a covid fará parte do Calendário Nacional de Vacinação a partir de 2024. Veja qual dose tomar.

enfermeira aplica vacina cotnra covid em homem em posto de saúde

Compartilhar

Publicado em: 02/11/2023

Revisado em: 02/11/2023

Muita gente se perdeu em meio às orientações sobre a vacina contra covid. saiba quais são as recomendações atuais na coluna de Mariana Varella.

 

O Ministério da Saúde anunciou, no último dia 31, que a imunização contra a covid-19 será incluída no Calendário Nacional de Vacinação a partir de 2024.

A recomendação vai priorizar crianças de seis meses a menores de 5 anos e os grupos com maior risco de desenvolver as formas graves da doença, como idosos, imunocomprometidos, gestantes e puérperas, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades, indígenas, ribeirinhos e quilombolas, pessoas vivendo em instituições de longa permanência e seus trabalhadores, pessoas com deficiência permanente, pessoas privadas de liberdade maiores de 18 anos, adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas, funcionários do sistema de privação de liberdade e pessoas em situação de rua. 

Veja também: Sequelas da covid

Falar sobre a vacinação contra a covid parece ultrapassado, mas a verdade é que muita gente se perdeu nas orientações sobre o esquema de vacinação. 

Diante do aumento de casos e internações ocorrido em boa parte do Brasil nas últimas semanas, causado pela chegada de uma nova subvariante da ômicron, chamada de éris, as pessoas voltaram a se interessar pelo tema. 

Desde o início da pandemia tem sido assim: quando uma nova variante ou subvariante do Sars-CoV-2 chega, os casos sobem e o assunto vacina volta às rodas de conversa e pesquisas na internet.

Agora, com boa parte da população vacinada ou com imunidade natural, a maioria das pessoas têm quadros mais leves da doença.

No entanto, para afastar o risco de complicações, é muito importante manter a vacinação em dia.

Estas são as orientações do Ministério da Saúde acerca da vacinação contra a infecção. Veja em qual situação você se encaixa:

Vacina para covid para a população geral acima de 18 anos

 

  1. Quem não se vacinou ou tomou apenas uma dose das vacinas monovalentes (CoronaVac, Janssen, Pfizer e AstraZeneca): você deve completar o esquema primário com duas doses das vacinas monovalentes. Isso porque todos os adultos devem completar esse esquema antes de receber os reforços;
  2. Quem completou o esquema primário com duas doses e não tomou nenhum reforço: depois de 4 meses de ter completado o esquema primário, tome o reforço com a vacina bivalente da Pfizer, que protege contra a ômicron.
  3. Quem completou o esquema primário e tomou uma ou duas doses de reforço com as vacinas monovalentes: depois de 4 meses da última dose da monovalente, tome o reforço com a bivalente.

 

Para imunocomprometidos com 12 anos ou mais

 

  1. Recomendação geral: fazer o esquema primário com três doses das vacinas monovalentes, com intervalo de 8 semanas entre elas, e um reforço com a bivalente da Pfizer após 4 meses da última dose da monovalente.
  2. Quem não tomou nenhuma dose ou apenas uma dose do esquema primário de três doses: a pessoa está apta a receber uma dose da vacina bivalente após a segunda dose da vacina monovalente. A bivalente poderá ser utilizada para completar o esquema primário após o intervalo mínimo de 8 semanas depois da segunda dose da monovalente. A dose de reforço também poderá ser feita com a bivalente após 4 meses da última dose da bivalente.
  3. Quem tomou duas, três ou quatro doses: pessoas que completaram o esquema primário ou já receberam uma ou duas doses de reforço podem tomar o reforço com a bivalente depois de 4 meses da última dose recebida.

Veja também: Covid longa

 

Vacina para covid para crianças e adolescentes

 

O esquema muda de acordo com a faixa etária:

 

  1. Para crianças de seis meses a 4 anos: três doses da “Pfizer baby”, que tem tampa vinho, com intervalos de quatro semanas entre as duas primeiras doses, e de oito semanas entre a segunda e a terceira.
  2. Para crianças de 5 a 11 anos: duas doses da “Pfizer Ped”, que tem tampa laranja, com intervalo de oito semanas, e um reforço quatro meses após a segunda dose, exclusivamente com a vacina “Pfizer Ped”.
  3. Para adolescentes 12 a 17 anos, inclusive gestantes e puérperas: duas doses da Pfizer de tampa roxa, a mesma utilizada em adultos, com intervalo de oito semanas, e um reforço quatro meses após a segunda dose. O reforço deve ser feito com a vacina Pfizer.

As vacinas contra a covid são seguras e eficazes para evitar casos graves e mortes pela infecção.

É importante lembrar que a vacinação é estratégia de proteção coletiva.  É essencial que todos se vacinem e tomem os reforços indicados, para proteger a si mesmo e a todas as pessoas ao seu redor. 

 

Veja mais

Sair da versão mobile