seiosUma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Ideafix revela que 30% das mulheres brasileiras já pensaram em aumentar os seios. Dessas, metade pretende realizar a cirurgia para colocar a prótese de silicone em breve. O levantamento, feito com 400 voluntárias de 18 a 45 anos, das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília e Rio de Janeiro, tem como principal objetivo entender a percepção da mulher em relação ao próprio corpo e à cirurgia de aumento de mama.

Para quase 40% das entrevistadas, a insatisfação com o tamanho dos seios é o principal motivo que as leva a considerar a cirurgia plástica como opção. O resultado condiz com a segunda colocação do Brasil no ranking de países que mais realizam cirurgias de implantes de silicone.

Sentir-se desejada e atraente para os homens também é um fator determinante na decisão: para 53% das voluntárias, seios grandes são “sexy”. Cerca de 43% das entrevistadas de 18 a 24 anos não se sentem felizes com o corpo e desejam ter seios fartos e barriga “tanquinho”.

Na opinião da psicóloga e terapeuta sexual Ana Canosa, da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana, a brasileira considera o corpo um pilar importante para manter a autoestima. “Os seios são o símbolo da nossa feminilidade, da sensualidade e também da maternidade, aspectos fundamentais na vida da mulher. Em relação à insatisfação com o tamanho dos seios, acredito que muitas mulheres acabam tomando como referência o fato de nosso país ser considerado sensual , e a busca incessante de se comparar com os outros não tem fim”, explica.

A preocupação com  “o que os outros vão pensar” fica mais evidente em uma das perguntas colocadas às entrevistadas. Quando indagadas se os homens preferiam seios grandes, quase 90% responderam que sim. “A grande armadilha acaba sendo essa, apoiar-se muito na opinião alheia e esquecer as próprias vontades. É claro que a mulher pode colocar uma prótese de silicone  com a qual se sinta bem. Mas é para ela, não para os outros. Quanto mais autonomia a mulher tem em relação ao corpo, no sentido de se conhecer e se gostar, mais feliz ela tende a ser, inclusive sexualmente”, afirma a psicóloga.