A doença de Alzheimer afeta mais as mulheres que os homens, revela a Associação Americana de Alzheimer (Alzheimer’s Association).

O risco de uma mulher desenvolver a doença aos 65 anos é de 1 em 6, o que representa quase o dobro do risco de ela ter câncer de mama.

Os homens, por sua vez, apresentam risco de 1 em 11 de desenvolver a doença na mesma faixa etária.

Dados sugerem que a doença causa mais impacto nas mulheres que nos homens – não apenas nas que convivem com a doença, mas nas cuidadoras, parentes e amigas dos paciente diretamente afetados. Há 2,5 mais mulheres que homens envolvidos nos cuidados intensivos de pacientes nos estágios mais avançados da doença.

Segundo Maria C. Carrillo, PhD e vice-presidente da Associação, são as mulheres as principais responsáveis por cuidados diários como alimentar, dar banho e ajudar na locomoção de pacientes, portanto elas estão no epicentro da doença.

Em pesquisa citada no relatório, quase 60% dos cuidadores entrevistados relataram estar sob estresse emocional forte ou muito forte e mais de 1/3 relatou estresse físico. Mais da metade (54%) precisou se ausentar do trabalho para cuidar do paciente.

Entre 2000 e 2010, as mortes por Alzheimer nos Estados Unidos subiram 68%, enquanto a porcentagem de morte por outras doenças como infecções por HIV, derrames, doenças cardíacas e câncer de próstata caiu significantemente. Os problemas causados por Alzheimer e outras demências devem  aumentar, já que a população está se tornando cada vez mais idosa. Em 2025, espera-se um aumento de 40% no número de casos nos Estados Unidos.

O relatório fornece outros dados:

  • – O risco estimado de desenvolver Alzheimer aos 65 anos é de 17,2% para mulheres e de 9,1% para homens.
  • – Um em cada 9 americanos idosos tem a doença. Isso inclui 4% dos indivíduos abaixo dos 65 anos, 15% dos com idade entre 65 e 74 anos, 44% dos idosos entre 75 e 84 anos e 38% dos acima de 85 anos ou mais.
  • –  1/3 dos idosos que morreram em determinado ano havia sido diagnosticado com Alzheimer ou outra demência.
  • – Cuidar de pacientes com Alzheimer também traz um custo financeiro alto: os americanos devem gastar 150 bilhões de dólares em 2014 com programas de saúde para tratar pacientes com Alzheimer e outras demências.

 

É possível obter mais informações sobre o relatório acessando o site da Associação Americana de Alzheimer: www.alz.org  (site em inglês).