O que são e por que é importante controlar os triglicérides

Alimentação saudável é fundamental para manter o nível de triglicérides baixo e evitar o risco de complicações de longo prazo. 

Maiara Ribeiro é repórter do Portal Drauzio Varella desde 2018. Tem interesse em assuntos relacionados à saúde da criança, da mulher e do idoso.

Alimentação saudável é fundamental para manter o nível de triglicérides baixo e evitar o risco de complicações a longo prazo.

Compartilhar

Publicado em: 17 de maio de 2022

Revisado em: 17 de maio de 2022

Alimentação saudável é fundamental para manter o nível de triglicérides baixo e evitar o risco de complicações de longo prazo. 

 

Você provavelmente já fez um exame de sangue no laboratório e viu o nome “triglicérides” entre as medições. Esse é um exame bastante comum e que costuma ser solicitado toda vez que fazemos um check-up de saúde. Apesar disso, nem todas as pessoas sabem o que são os triglicérides.

Os triglicérides são moléculas de gordura, assim como o colesterol. No entanto, eles têm funções diferentes no nosso organismo. Enquanto o colesterol atua nas membranas celulares e na formação de alguns hormônios, os triglicérides servem para armazenar energia, que é fornecida basicamente pela alimentação.

        Veja também: Triglicérides e doença das coronárias | Artigo

Contudo, se os níveis no sangue forem muito elevados, no longo prazo a gordura vai se acumulando na parede dos vasos sanguíneos, e aumenta o risco de pancreatite e complicações cardiovasculares, como angina, infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

Em adultos, o nível normal dos triglicérides em jejum é de até 150 ml/dL. Quando esse número está elevado, não costuma haver sintomas. Por isso, sem exames, fica difícil descobrir a alteração.

 

        Veja também: Gordura na alimentação | Tira-dúvidas com especialista #01

 

Como reduzir os triglicérides

Geralmente, pessoas que consomem uma dieta rica em açúcar e carboidratos – como massas e pães – ou com excesso de gorduras saturadas – presentes em produtos industrializados e de origem animal – estão mais propensas a alterações na taxa de triglicérides, conforme explicou a dra. Aline Tito, cardiologista do Grupo Ifé Medicina, em entrevista ao podcast DrauzioCast.

“Ao contrário do colesterol, a gente observa que uma mudança na dieta provoca uma queda dos triglicérides com muita rapidez. Em torno de três semanas, às vezes em um mês, você já tem uma queda de mais de 50% nesse valor de triglicerídeos, o que não ocorre com o colesterol. Com o colesterol, muitas vezes a gente precisa entrar com uma medicação para reduzir até a taxa que a gente considera ideal, para reduzir o risco cardiovascular realmente”, afirmou a médica.

 

        Ouça: DrauzioCast #163: Triglicérides e colesterol

 

Mudança de hábitos alimentares

A especialista destacou que, para manter os índices de gordura no sangue em níveis normais, é muito importante manter uma alimentação balanceada de maneira regular. “É necessário que essa mudança seja contínua. Se nós fizermos uma dieta muito rigorosa, mas não conseguirmos manter essa dieta, vai haver oscilação [no nível de triglicérides].”

Portanto, se os seus exames estão alterados, o ideal é buscar uma mudança duradoura no estilo de vida: se alimentar de forma saudável e praticar atividade física regularmente são as principais medidas. É importante reduzir o consumo de açúcar e carboidratos em excesso, controlar a ingestão de gorduras saturadas e aumentar o consumo de verduras e fibras.

 

Quando fazer exames

Normalmente, quando a pessoa realiza um check-up e seus índices de gordura – e outros indicadores de saúde – estão normais, ela só precisa repetir os exames depois de um período definido pelo médico. Pessoas com doenças crônicas podem precisar de acompanhamento médico mais frequente.

        Veja também: Como manter seu colesterol sob controle | Artigo

Quando a pessoa está com colesterol e triglicérides elevados, o médico vai orientá-la sobre os cuidados e mudanças de estilo de vida necessários para baixar esses números. O retorno para verificar os resultados ocorre geralmente entre três e seis meses. Não se esqueça de relatar ao médico possíveis queixas e histórico familiar de problemas cardiovasculares, se houver.

Veja mais

Sair da versão mobile