Touca gelada durante a quimio não serve para todos os tipos de câncer

As toucas de resfriamento são uma alternativa para os pacientes em quimioterapia

Compartilhar

Publicado em: 08/09/2022

Revisado em: 08/09/2022

O dispositivo não é indicado para cânceres hematológicos, como leucemias e linfomas. Entenda o motivo.

 

As toucas de resfriamento são uma alternativa para os pacientes em quimioterapia, pois ajudam a prevenir em cerca de 60% as quedas de cabelo durante o tratamento. São indicadas para casos de tumores sólidos, como o câncer de mama e de pulmão, por exemplo.

Entenda melhor como ela funciona e quais suas contraindicações a seguir: 

 

Como funciona?

 

As toucas são dispositivos que resfriam o couro cabeludo e devem ser utilizadas em ambiente hospitalar. Somente enfermeiros capacitados podem fazer o manuseio da touca. Ela é colocada minutos antes de a sessão de quimioterapia iniciar e fica acoplada a uma serpentina que sai de uma caixa de resfriamento. 

O líquido de refrigeração circula na serpentina a uma temperatura de 4ºC para que o couro cabeludo se mantenha em torno de 11ºC. Essa baixa temperatura promove uma vasoconstrição na região, dificultando que a droga utilizada na quimioterapia penetre e danifique o folículo capilar, fazendo com que a perda dos fios seja menor. 

 

Por quanto tempo é preciso utilizar?

O paciente permanece com ela na cabeça durante toda a sessão e, depois, por mais 60 a 90 minutos, a depender do protocolo. 

 

A touca congela a cabeça?

A touca não congela a cabeça,  e a sensação de frio é tolerada por 98% dos pacientes. 

 

Serve para quaisquer tipos de câncer?

Não. Apesar de causar poucos efeitos colaterais (sensibilidade no couro cabeludo, calafrios, dor de cabeça), o aparelho não é indicado para cânceres hematológicos, ou seja, que afetem a corrente sanguínea, como linfomas e leucemias, ou cânceres metastáticos. Isso porque a touca funciona exatamente a partir da contração dos vasos sanguíneos, o que poderia diminuir a efetividade do tratamento contra a doença. 

 

Posso fazer uma touca caseira?

Como o artefato está restrito a centros oncológicos privados (somente dois hospitais do SUS oferecem a tecnologia), milhares de pacientes não têm acesso ao benefício. Com isso, é muito comum encontrar no YouTube vídeos ensinando a criar toucas de resfriamento caseiras. Entretanto, elas não são recomendadas pelos especialistas por conta do risco de queimaduras. 

Segundo o médico e tricologista dr. Luciano Barsanti, a diferença entre o equipamento profissional e a touca caseira é enorme. 

“Enquanto o equipamento médico controla rigorosamente a distribuição do frio e a adequação da temperatura, inclusive indicando a necessidade de pausas a cada 30 minutos de uso, a touca caseira não consegue distribuir o frio adequadamente, muito menos indicar a temperatura adequada”, alerta.

Portanto, o risco de a touca caseira causar uma queimadura pelo frio no couro cabeludo é grande. “A pele que reveste o crânio, chamada de couro cabeludo, é sensível. Se for queimada, atingindo o bulbo capilar, não terá a capacidade de permitir que o cabelo nasça novamente, após o tratamento quimioterápico”, comenta.

E ele vai além: “Não é porque o paciente não sente a queimadura que ela não esteja acontecendo. A região é tão sensível que o dano pode ocorrer, mesmo que seja indolor”.

 

Toucas de internet

A recomendação também vale para as toucas vendidas pela internet por preços que variam entre R$ 600 e R$ 800 cada uma. Apesar de terem indicações clínicas, é importante consultar um médico antes de comprar o dispositivo, pois há diferentes modelos e indicações (muitas vezes é preciso comprar mais de uma, por conta das trocas que são necessárias durante as sessões). 

 

Veja mais

Sair da versão mobile